Eloí Farias

Aos 10 anos de idade, já revelava filmes em P/B em um laboratório improvisado no meu quarto em casa no alto de Teresópolis.

Aos 13 anos fui trabalhar com fotografia, mas na área de pré-impressão para gráfica. Desde lá, nunca mais saí de dentro da câmara escura. Operava na reprodução de cromos e de originais em papel fotográficos ou ilustrações, ampliando filmes(fotolitos) em separação de cores reticuladas. A manipulação de imagem se dava controlando zonas de luz na projeção do ampliador e retocando os filmes separados em C/M/Y/K com uso de produtos químicos, estiletes, bico de pena e pincel para corrigir cores, sujeiras, rugas etc. Como se faz hoje usando computadores. Era tudo manualmente, chamava-se fotomecânica.

Aos 20 anos era um profissional já muito experiente e ajudei meu irmão Edison e seu sócio Mario em criar a empresa que me projetou neste cenário, a Fotomecânica Maredi que depois virou Sistema Gráfico. Em 1990, em uma feira na Alemanha, tive contato com o Photoshop pela primeira vez e foi assim que nos tornamos empresa pioneira no Sul em trabalhar com editoração eletrônica. Coordenando a edição de imagens, aprendi muito. Junto a grandes profissionais da fotografia me desenvolvi como técnico em artes gráficas. Atuávamos em qualquer segmento do mercado como Publicidade, Editorial, Governo, etc. Foi assim que trouxemos o primeiro prêmio de excelência gráfica para o RS depois foram mais de 10.

Em paralelo fazia minhas fotos amadoramente e escondido, pois era tímido com minha câmera. Curtia muito participar em projetos dos fotógrafos talentosos que sempre admirei. Foram muitos livros, muitas descobertas, muitas parcerias. Um fotógrafo muito importante para minha carreira profissional e que considero um irmão é o Fernando Bueno, que me fez ser mais orgulhoso e me incentivou em tudo que sou, mas outros mais também tem um papel importante nesta vida, sempre que tinham um plano, uma exposição ou livro procuravam-me para uma consulta ou desenvolvimento. Agora aposentado e com 62 anos, me dedico mais a esta paixão que é fotografar. Já tive fotos publicadas no jornal Zero Hora que fez uma matéria sobre a minha fixação em fazer fotos do Guaíba; também foi para a capa deste jornal, quando  certa vez fotografei um acidente grave no centro e Porto Alegre.

Em 2013 fui convidado para expor minhas fotos na mostra “Rio Pardo em foto” e ficaram por um mês no Centro Cultural desta cidade. Meu principal modelo é o rio Guaíba, tendo o sol como pano de fundo nas suas mais variadas formas.

Áreas de Interesse:

Fotografia de Viagem, Fotografia de Natureza e Edição em Photoshop

Midias Sociais:

Referências Fotográficas:

David Hamilton